5 passos para fazer uma procuração

Tempo de leitura: 1 minuto

Se você não sabe quais são as características básicas de uma procuração, recomendamos ler nosso artigo “Procuração: entenda como funciona”.
1- Identificar a finalidade do documento. Só assim você saberá qual o melhor tipo. Ou seja, se a procuração será utilizada apenas para a resolução de um negócio, utilizar uma de plenos poderes pode ser uma péssima ideia, porque você estará dando poderes praticamente ilimitados para a pessoa outorgada.
2- Listar os poderes que serão concedidos e por quanto tempo. É muito importante especificar claramente quais serão os poderes que a procuração dará ao outorgado (pessoa que recebe a procuração). Mesmo que essa pessoa seja de confiança, essa é a única maneira de garantir a segurança do outorgante (pessoa que passa a procuração). Lembre-se que se trata de um documento, e pelos olhos da lei, se a pessoa outorgada usar de má fé, ela estará atuando como se fosse o próprio outorgante. Uma boa dica é anotar esses poderes para não esquecer de nada.
3- Redigir a procuração. O documento poderá ser escrito de próprio punho ou digitado. Pode-se utilizar um modelo pronto e alterar as informações de acordo com o que você listou. Nessa hora, com a lista dos poderes que quer conceder e os dados do outorgante e outorgado, você consultar um dos advogados da Luva e ter uma consultoria online, garantindo que não terá problemas futuramente.
4- Revise uma, duas, três ou mais vezes. Depois de escrita, nunca é demais revisar a sua procuração, mesmo que você tenha a assessoria de um advogado. A procuração é um documento muito sério e se não estiver de acordo com seus interesses pode se tornar uma enorme dor de cabeça.
5- Reconheça a procuração no cartório. Com o documento pronto em mãos, você deve reconhecer firma em um cartório de notas. Alguns tipos de procuração não necessitam, mas na dúvida, melhor registrar e garantir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *